10/24/2009

Raio Azul

Confesso que estou rendido ao poder do Blu-ray. É realmente muito bom, e, em conjunto com uma boa televisão (é aliás a única forma de tirar partido do Full-HD que tanto é anunciado e no meio da confusão acho que muita gente compra só porque sim), e um sistema de som minimamente decente, é o que mais se aproxima da sensação de estar no cinema. Além disso o aparelho Blu-ray lê também os DVD's, cujo o máximo de definição são 480p e faz-lhes um upscaling, simulação, vá, para alta definição (1080p ou 720p, não sei bem). De maneira que comecei a minha colecção, que pretendo composta por filmes que sei que vou ver várias vezes no tempo que me resta, com este:



Estou essencialmente inclinado para Westerns, Guerra e Documentários. Estranhos são os critérios de edição, pois não vejo que sejam quer comerciais, quer qualitativos, quer meramente de puro efeito visual, o que seria um critério válido. Está a acontecer o mesmo que aconteceu/acontece com as séries de TV, com tanta porcaria editada e ainda estou à espera da edição portuguesa da série 3 do Millennium.

2 Comments:

Blogger FMS said...

A PS3 tb lê e o impacto aqui foi igual, mas com o gran torino.

quinta out 29, 12:45:00 da manhã  
Blogger ouroboro13 said...

Finalmente um artigo de consumo e de tecnologia que faz mesmo a diferença. Estou a rever praticamente todos os meus DVD's, e, quando possível, ir refazendo a colecção dos gigantes. Outra coisa interessante é que a escolha no estrangeiro - as edições na Europa saem normalmente com um porradão de traduções - é maior para blu-ray em comparação com DVD, e com preços mais baixos, claro.

sexta out 30, 09:59:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home