4/12/2007

Elementar

Escreve o Luís, de Coimbra, algures nos comentários do Público...

Parece q alguns portugueses não compreendem que certos cargos públicos exigem dos detentores uma certa dignidade e honestidade que não é compatível com falcatruas, aldrabices, amigalhaços e compadrios. Pessoalmente pouco me importa que o primeiro ministro tenha a quarta classe ou um doutoramento. No entanto já não me é indiferente se o mesmo tenha feito aldrabice da grossa para obter um diploma universitário, e que tenha andado a empolar-se durante largos anos usando títulos e honrarias que não possui. Aliás este último ponto revela uma tacanhez de caracter imensa, e ninguém deveria querer um primeiro ministro assim. Numa democracia normal, com tradições de responsabilidade e idoniedade, como por exemplo a Inglaterra ou os Estados Unidos, já se começaria a falar na demissão do primeiro ministro, porque independentemente de ele ser muito bom, ser o salvador da pátria e afins, a dignidade do cargo não se coaduna com histórias destas. O facto de ver aqui tantas pessoas a defender o abafamento da história mostra bem o baixo nível da "democracia Portuguesa". E para aqueles q mesmo assim não percebem o obvio desta questão direi apenas que não é aceitável, quando muitos milhares andam anos a esfolar-se para tirar um curso, que alguém vá simplesmente ao fim de semana a casa do reitor e pronto "toma lá um canudo". Porque se uma pessoa faz isso para a porcaria dum diploma universitário, imagine-se só o que não fará com outras coisas mais importantes. As questões de caracter são assim, é pena que em Portugal a força de tanta porcaria todos os dias já não se perceba algo tão básico.

3 Comments:

Blogger ringthane said...

É acima de tudo o medo.

quinta abr 12, 10:07:00 da tarde  
Blogger ouroboro13 said...

Mas isso, olha, é como se costuma dizer, quem tem cu...

sexta abr 13, 12:54:00 da tarde  
Anonymous Isabel Coutinho said...

Concordo inteiramente !

domingo abr 15, 12:59:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home